O MUNDO PEER TO PEER - SoDA - The Digital Society

SocietyOfDigitalAgencies

SoDA Blog Leadership Ideas and Opinions

« Back to Blog

O MUNDO PEER TO PEER

by Mauro Silva, LiveAD / September 25, 2013

Estamos vivendo uma revolução que não é pautada pela tecnologia, mas sim pela influência que a tecnologia tem na forma dos homens pensarem e agirem.

Quando se fala em internet geralmente se pensa em tecnologia. Afinal o seu início foi fruto de uma inovação tecnológica. Mas décadas se passaram e a tecnologia foi evoluindo na direção de se tornar uma camada quase invisível, que tem papel de viabilizar o que mais importa: a interação entre pessoas. E assim a rede mundial de computadores evoluiu para a rede mundial de pessoas.

Não é difícil concluir que na rede mundial de pessoas, as pessoas são a coisa mais importante. E também é fácil de perceber que cada vez mais as pessoas tem consciência disso.

Esse momento que vivemos é comparável ao Renascimento. O momento histórico em que a luz da ciência promoveu enorme evolução na forma de pensar e agir. Uma evolução que foi fruto de novas ideias e novos modelos de pensamento que passaram a ser hegemônicos e derrubaram a estrutura religiosa que segurava o ocidente na idade média.

O que vivemos hoje não é muito diferente do que aconteceu lá atrás. Só que os elementos de mudança são outros.

A estrutura social em rede está nos movendo para novos modelos de pensamento. A relação direta de pessoa para pessoa está catalisando mudanças na forma de pensar e agir. Estamos evoluindo para uma relação mais comprometida com o coletivo. Estamos vivendo a revolução Peer to Peer. Que acontece em ritmo acelerado, mas com rupturas diferentes do que as revoluções que a história já nos mostrou. Em vez de grandes quebras, as evoluções acontecem através de pequenas rupturas em grande quantidade, em uma espécie de cauda longa. Uma revolução descentralizada que está trazendo um novo universo de códigos, visões e atitudes.

Talvez você já tenha se perguntado o que isso tem a ver com comunicação digital, que é o tema dessa coluna. E talvez você já tenha percebido que nós, publicitários e contadores de histórias, somos grandes responsáveis pela disseminação desses códigos transformadores. Pois ideias têm potencial de alterar nossas crenças e promover alterações de dentro pra fora. São as histórias que contamos e ouvimos que mexem com a nossa visão de mundo.

A comunicação, através de histórias, é a maior força transformadora que existe. É através da passagem e troca de informações que as transformações internas de cada um de nós acontecem. É através da reorganização das nossas crenças que passamos a adotar um novo pensamento. É um processo interno, mas que tem reflexo externo e exponencial quando acontece ao mesmo tempo com grandes grupos de pessoas.

Sabemos que as evoluções do mundo são resultado de um processo gradual. Como exemplo, veja os movimentos pelos direitos civis, contra a discriminação racial, igualdade entre os sexos. Todos são fruto da transformação interna das pessoas, que passaram a compreender essas questões de formas novas. E, a partir desse ponto, os novos modelos mentais quebraram paradigmas históricos. Posturas antes dominantes deram espaço a posturas novas na medida que mais e mais pessoas passaram a acreditar em uma nova verdade. Aquilo que era restrito a algumas poucas pessoas, através da comunicação, tornou-se hegemônico.

Em um mundo em rede, em que mais de 2.5 bilhões de pessoas estão conectadas, isso ganha grande importância. Ou não?

Se o Iluminismo mudou o mundo pela sua capacidade de mostrar ideias melhores de mundo pela ótica da ciência e da razão, o que a internet está fazendo é mostrar as vontades de um mundo melhor pela expressão direta da enorme quantidade de opiniões legíveis. E opinião não é apenas um argumento estruturado e carregado de ideologia. Mais do que isso, é também expressada nos pequenos atos, nos momentos corriqueiros, nos likes e dislikes do dia a dia, na compra ou não de um produto.

O mundo Peer to Peer está seguindo o rumo que as pessoas querem pra ele. E nós, publicitários, precisamos ter consciência que o poder da comunicação deve ser usado com o comprometimento em deixar marcas tão positivas quanto for possível.

Share:

Share

Comments